História

Crystal Palace, 1851 – 1936

Crystal Palace, 1851 - 1936

O sucesso da Exposição Industrial Francesa de 1844 levou o governo Inglês à decisão de sediar um evento similar, em Londres. O Príncipe Albert fez então grandes planos para um evento de Arte e Indústria, para efeito de "Exibição, Competição e Encorajamento". A Sociedade das Artes apoiou de imediato a idéia, e foi montada uma Comissão Real para tratar do assunto.

Em Janeiro de 1850 foi realizado um suntuoso banquete em Mansion House, onde o príncipe discursou a favor do projeto. Ele teve o apoio, na ocasião, de Sir Robert Peel, do Arcebispo de Canterbury, dos Lordes Russell and Stanley, e do embaixador Francês. O encontro foi um grande sucesso.

Foi reunida uma soma de 230,000 Libras, e decidiu-se por uma dimensão de 66.500 m2, muito maior do que os franceses haviam jamais feito. A Comissão do Evento lançou um concurso para o projeto da construção e 233 arquitetos participaram (38 do exterior, 51 da Inglaterra e 128 da própria Londres). Foi, no entanto, um empreiteiro, Fox e Henderson, que apresentou uma proposta com custo viável. O Crystal Palace, como veio a ser conhecido, se baseou no design de Joseph Paxton, que teve a idéia de uma estrutura simples, com cobertura de vidro, repetida indefinidamente. Paxton fez o projeto final em apenas nove dias!

Em 6 de Julho de 1850, o Illustrated London News publicou uma gravura do projeto, que veio a receber depois uma cúpula mais alta, para acomodar as árvores do Hyde Park sem necessidade de poda. A construção era muito grande: 536 m X 124 m, seis vezes a área da Catedral de St. Paul.

Para a surpresa de muitos, o prédio ficou pronto a tempo. A Rainha Victoria o inaugurou em 1º de Maio, 1851. O evento foi um grande sucesso de bilheteria, cobrindo todas as despesas de construção até seu encerramento em 15 de outubro do mesmo ano. O Sr. Schwepps foi um dos patrocinadores, em troca do privilégio de servir seus refrigerantes. A exposição era composta de mostras de: Índia, África, Canadá, Índias Ocidentais, Cabo da Boa Esperança, Pavilhão Medieval, Escultura Inglesa, Mobiliário Inglês, Sheffield, Jersey, Ceilão, Malta, Pavilhão das Belas Artes, Grécia, Pérsia, Egito, Turquia, Espanha, Portugal, Madeira, Itália, França, Bélgica, Áustria, Norte da Alemanha, Rússia, Estados Unidos, Suécia, Dinamarca, Saxônia, Escultura Austríaca, Suíça, China e Tunísia. Seis milhões de pessoas visitaram a Grande Exibição. O Crystal Palace foi desmontado, e remontado em Sydenham em 1852. Infelizmente, ele foi destruído em um grande incêndio em 1936.


Crystal Palace, 1884

Crystal Palace, 1884

No mesmo estilo, em pequena escala do Crystal Palace de Londres, o Palácio de Cristal de Petrópolis foi encomendado pelo Conde d’Eu, marido da Princesa Isabel e presidente da Associação Agrícola e Hortícula de Petrópolis, em 1879.

Localizado no antigo Campo da Confluência, ou Praça Koblenz, o Palácio foi construído nas oficinas da Sociedade Anônima de Saint-Sauver-Les Arras, na França, no mesmo período da Torre Eiffel.

O Palácio de Cristal, primeira estrutura pré-fabricada erguida no Brasil, foi inaugurado em 1884, e sua mais bela festa foi realizada na Páscoa de 1888, na qual a Princesa Isabel entregou cartas de alforria a 103 escravos. Em 1967 o Palácio de Cristal de Petrópolis foi tombado pelo IPHAN.


Crystal Palace, Séc XXI

Crystal Palace, Séc XXI

A Crystal Palace Coberturas e Decorações homenageia este grande exemplo de arquitetura para eventos, mantendo viva a idéia de uma estrutura repetida simples, elegante e com teto e/ou laterais transparentes. Sob montagens da Crystal Palace, desde 1995, já se reuniram chefes de estado, realizaram-se casamentos, e foram servidos inesquecíveis banquetes.